Grupo Abaruna - Um novo olhar frente a arte
Abaruna Playback Theatre  é um grupo de teatro onde o principal personagem é da plateia.  É o retrato exato da forma interativa de contar histórias e fortalecer o elo e o entendimento entre as pessoas. O grupo que já atuou  na Companhia dos Palhaços, Sesc da Esquina e Festival de Teatro de Curitiba, vai além das salas teatrais e desenvolve trabalhos cada vez mais fortes em ambientes corporativos e junto à sociedade. Participa no Hospital da Cruz Vermelha em projetos de treinamentos. Possui  8 integrantes (1 músico, 6 psicólogos e um com formação em letras), todos com formação em teatro. Leonardo Fortunato, psicólogo e músico instrumentalista, ator e coordenador do grupo nos treinamentos, sinteiza, em breve entrevista, algumas questões e o pensamento e trabalho do grupo.
 
Como surgiu o Grupo Abaruna?
 
O grupo Abaruna surgiu a partir de um curso de extensão em Playback Theatre realizado no ano de 2011 (Psicologia da PUC-PR). A partir de 2012  começou sua profissionalização desenvolvendo trabalhos de teatro de playback em instituições sociais e  particulares. 
 
O que é teatro de playback?
 
Playback  é uma forma de teatro espontâneo, em que pessoas da plateia contam histórias que são representadas pelos atores, na hora - sem script, Isso mexe com o sentimento quando elas vêem suas histórias dramatizadas. Esta técnica, criada por Jonathan  Fox, tem uma relação direta com a psicologia, pois traz em sua origem os conceitos do psicodrama.
 
O grupo trabalha com o  improviso e precisa captar não só a história, mas a emoção das pessoas. Como vocês se preparam para isso?
 
O grupo ensaia duas vezes por semana e está em constante aprimoramento de técnicas de teatro, de psicodrama, de playback e também de estudos frente à psicologia. No momento da apresentação há sempre uma conversa inicial com a plateia, o que estimula uma soltura das pessoas. Além disso, um integrante do grupo desempenha o papel de uma espécie de condutor junto ao público, proporcionando maior integração entre plateia e atores. 
 
Onde o grupo atua?
 
Além do trabalho em instituições sociais e particulares, fazemos treinamentos através de vivências e dinâmicas de grupos, voltadas para ambientes corporativos. Atuamos como facilitadores, possibilitando aos participantes enxergarem diferentes  reações diante de uma mesma situação. Podemos dramatizar e vivenciar a circunstância diversas vezes e de formas diferentes. Isto ajuda a pessoa a desenvolver outros mecanismos diante de uma mesma questão.
 
Como é o trabalho desenvolvido no Hospital da Cruz vermelha?
 
Iniciamos este projeto há 3 anos, com o objetivo de treinar e fortalecer as pessoas. Os encontros duravam 4 semanas e eram voltados para os grupos operacionais.
Em  2017 estes treinamentos vieram com uma nova roupagem. Passamos a fazer parte da Educação Corporativa - projeto conjunto com  o Escritório de Qualidade, RH  e Direção,  que visa atender os objetivos do hospital gerando conhecimentos, crescimento pessoal e fortalecendo os resultados dos trabalhos em equipe. 
Criamos então um novo modelo de aplicação de 4 horas seguidas em um encontro mensal - para grupos de 10 pessoas (coordenadores e chefias), com temas de comunicação, relacionamento interpessoal e ética, objetivando melhorar a comunicação das chefias com seus subordinados. 
A pedido da direção o grupo participa, além da Educação Corporativa, em eventos e outros  trabalhos, sempre com a preocupação de dignificar o ser humano e promover nas pessoas um novo olhar frente à arte.
 
 
 
 

 

 
 
Assessoria de Imprensa: Jornalista Vik Correia   41 99968 -5590
Fotografias: Lucas Pereira Nascimento